A empresa italiana Finmeccanica, da área das indústrias de Defesa e de Segurança, vai entregar a Angola nos próximos meses seis helicópteros através da AgustaWestland, revelou o director-geral do grupo, Mauro Moretti.

O anúncio foi feito à margem da visita oficial de dois dias do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, a Itália, concluída com a assinatura de vários acordos, nomeadamente económicos e financeiros.

“Vão chegar dentro de poucos meses. Temos seis já contratualizados”, disse Mauro Moretti, em declarações à imprensa após uma reunião com o chefe de Estado angolano, em Roma.

Recorde-se que a visita de José Eduardo dos Santos a Itália visou aprofundar tudo o que houver para aprofundar, nomeadamente as relações de amizade e cooperação existentes entre os dois países.

DDo programa da visita constaram encontros com o Presidente italiano, Sergio Mattarella, e com o primeiro-ministro, Matteo Renzi. Este último visitou Luanda precisamente há um ano, na companhia de mais de duas dezenas de empresários, tendo anunciado o objectivo de relançar a cooperação económica entre os dois países.

Na altura foi divulgada também a disponibilização de linhas de crédito para investimento italiano, através de Pequenas e Médias Empresas (PME), em Angola, bem como a abertura em Luanda de uma delegação da agência responsável pelas exportações de Itália.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística angolano, Itália foi o 11º destino das exportações de Angola em 2014, no valor total de 131.736 milhões de kwanzas (965 milhões de euros), equivalente a uma quota de 2,29% do total.

Nas importações, Itália foi o 15º país nas compras de Angola ao exterior, com uma quota de 1,74% do total e um montante de 49.137 milhões de kwanzas (360 milhões de euros).

Esta foi a terceira vez que o Presidente José Eduardo dos Santos visitou Itália. A primeira foi em 1997, quando se encontrou com o então Presidente Oscar Luigi Scalfaro e 2008, durante a Cimeira do “G8”, a convite do ex-primeiro-ministro Sílvio Berlusconi.

Recorde-se ainda que, entre outras áreas, Itália quer reforçar a cooperação com Angola no domínio da Defesa, designadamente nos ramos da marinha de guerra, aviação e formação de quadros, como revelou em Setembro de 2014 o embaixador de Itália no país, Giogio Di Pietrogiacomo.

O diplomata que na altura falava à imprensa no final de uma audiência com o ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, frisou que os dois países mantêm laços de amizade, daí que Itália quer partilhar experiências com Angola para o progresso dos dois Estados.

Ressaltou neste contexto, que aproveitou a ocasião para apresentar um convite ao ministro da Defesa Nacional, para visitar Itália, no âmbito das relações bilaterais entre os dois países.

A Itália foi o primeiro país da Europa Ocidental a reconhecer a independência de Angola, no dia 18 de Fevereiro de 1976, e a 4 de Junho do mesmo ano, estabeleceram-se as relações diplomáticas entre os dois Estados.

As relações de cooperação existentes entre Angola e a Itália tiveram o seu início em 1977, com a assinatura de um Memorando que institui a Comissão Bilateral, então Comissão Mista de Cooperação, ao que se seguiram a subscrição de vários outros instrumentos jurídicos.

Desde 1989, Angola foi considerada pela cooperação italiana, como um país de primeira prioridade, o que conduziu ao reforço das iniciativas italianas, que viriam a conhecer um impulso após a visita do Presidente José Eduardo dos Santos à Itália, em 1997, onde se encontrou com o então presidente Oscar Luigi Scalfaro.

Partilhe este Artigo