Licínio Azevedo, cineasta moçambicano.

Actores de Moçambique, Brasil e Angola serão protagonistas do filme “Comboio de Sal e Açúcar”, que começa a ser rodado hoje em Moçambique, numa co-produção entre as produtoras portuguesa Ukbar Filmes e a moçambicana Ébano Multimédia.

“E sta é uma co-produção internacional, em que Portugal teve um papel preponderante, e que conta com atores de Moçambique, Brasil e Angola”, disse à imprensa o cineasta moçambicano Licínio de Azevedo, à margem da apresentação do projecto em Maputo.

O filme resulta de uma adaptação do livro “Comboio de Sal e Açúcar”, escrito há 15 anos por Licínio de Azevedo e que narra a história de amor de uma enfermeira que se apaixona por um militar durante uma viagem de comboio em plena guerra civil moçambicana.

De acordo com o produtor, num primeiro momento, o objectivo era fazer um documentário, uma forma de retratar a história das mulheres moçambicanas que, durante os confrontos entre o exército e a Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), principal partido de oposição em Moçambique, viajavam cerca 700 quilómetros para chegar ao vizinho Maláui.

As mulheres faziam aquele percurso para ir trocar sal por açúcar, numa altura em que Moçambique sofria de grande escassez alimentar, provocada pelo conflito.

“O filme é o mergulho numa época complicada de Moçambique e em que todas estas pessoas que entravam no comboio não sabiam se chegariam ao destino em segurança”, conta a produtora portuguesa Pandora da Cunha Talles, que representa a Ukbar Filmes.

Para a rodagem do filme, que vai levar seis semanas, os Caminhos de Ferro de Moçambique disponibilizaram um comboio e o Ministério da Defesa moçambicano treinou os actores que vão fazer o papel de militares.

“As espectativas são altas, este é um projecto internacional de co-produção e que envolve atores muito bons”, disse Matamba Joaquim, actor angolano, que interpreta Taiar, o jovem militar que se apaixona pela enfermeira Rosa, personagem interpretada pela actriz moçambicana Melanie Rafael.

Além da Ukbar Filmes e da Ébano Multimédia, o “Comboio de Sal e Açúcar” vai contar com o apoio das produtoras francesa Les Films L ´Étranger, brasileira Panda Filmes e sul-africana Urucu Media e o seu lançamento está agendado para o próximo ano.

Partilhe este Artigo