A Orquestra Clássica do Centro (OCC – Portugal) vai editar um livro sobre a cantora cabo-verdiana Cesária Évora, cuja apresentação decorrerá em Coimbra, no dia 11, no âmbito de um programa comemorativo da independência de Cabo Verde.

A obra “Cesária — A rota da Lua vagabunda”, com chancela da OCC, foi escrita pelo músico cabo-verdiano Vasco Martins, também musicólogo, poeta e ficcionista, em co-autoria com o seu compatriota Tchalê Figueira, escritor e pintor.

No livro, os autores narram as suas “vivências boémias e artísticas” com Cesária Évora, já falecida, “nos anos que precederam a sua consagração como estrela internacional”, segundo uma nota da OCC, associação de Coimbra a que preside Emília Cabral Martins.

O compositor Vasco Martins desloca-se a Coimbra para participar no lançamento do livro.

No dia 12, integra igualmente um concerto com a OCC e realiza ele próprio um outro no dia seguinte, este de piano solo, vasos cantantes do Tibete, computadores e efeitos naturais.

Vasco Martins é também o coordenador do Centro de Estudos da Morna, que está a preparar a candidatura desta canção nacional cabo-verdiana à classificação como Património da Humanidade pela UNESCO.

A OCC está disponível para colaborar na candidatura através do Centro de Transcrição da Música Cabo-Verdiana, criado há um ano em Coimbra.

“A relação que a Orquestra Clássica tem com Cabo Verde tem vindo a crescer”, disse hoje Emília Cabral Martins.

Emília Martins enalteceu “as pontes culturais que se vão construindo” e reiterou o empenho da instituição de Coimbra na valorização da música dos dois países.

Associando-se às comemorações dos 40 anos da independência de Cabo Verde, assinada em 5 de Julho de 1975, a OCC promove uma quinzena cultural em Coimbra, entre hoje e o dia 15, em colaboração com organizações de cabo-verdianos.

A quinzena, intitulada “Encontro com a Cultura Cabo-Verdiana”, visa divulgar a música, a dança, a gastronomia, a literatura e algumas “singularidades das gentes e lugares” da antiga colónia portuguesa, através de exposições de pintura e fotografia, concertos, eventos multimédia e lançamento de obras.

As actividades decorrem no Pavilhão Centro de Portugal, sede da OCC, e nelas participam o Núcleo de Coimbra da Associação Maense em Portugal (organização de naturais da ilha do Maio), a Associação de Estudantes Cabo-Verdianos de Coimbra, o Grupo de Apoio aos Doentes Evacuados em Coimbra e cidadãos cabo-verdianos residentes em Portugal.

Nestes dias, o pavilhão estará aberto aos visitantes, entre as 15:00 e as 23:00, proporcionando a oportunidade de apreciarem as exposições e demais actividades.

Actual ministro da Cultura de Cabo Verde, Mário Lúcio de Sousa vai estar em Coimbra, no dia 12, para receber o Prémio Literário Miguel Torga, que conquistou em maio com o romance “Biografia do Língua”.

O programa é apoiado pelo Ministério da Cultura de Cabo Verde, Embaixada deste país em Portugal e Câmara de Coimbra.

Partilhe este Artigo