Miguel Osório, um ex-quadro de topo da Sonae, é o administrador do novo projecto de retalho em Angola, da empresária Isabel dos Santos e que vai operar a rede de hipermercados “Candando”, representando o fim da parceria com aquele grupo português.

O grupo Contidis, que vai operar sob a marca “Candando” (abraço), foi apresentado hoje em Luanda, em conferência de imprensa, precisamente por Miguel Osório, que confirmou tratar-se uma empresa detida a 100% pela filha do presidente da República, prevendo um investimento de 400 milhões de dólares (356 milhões de euros) nos próximos cinco anos.

Anteriormente tinha sido anunciada uma parceria entre Isabel dos Santos e o grupo Sonae para a introdução de uma rede de hipermercados em Angola.

A abertura da primeira loja “Candando”, de um total previsto de dez ao longo de cinco anos, deverá acontecer no primeiro semestre de 2016, em Luanda, anunciou Miguel Osório. Com 10.000 metros quadrados, esta primeira loja ficará instalada no Shopping Avenida, em Luanda.

Tal como o Folha 8 profusamente noticiou, Isabel dos Santos consumou agora o divórcio com o grupo Sonae. Mau grado ser a accionista maioritária, Isabel dos Santos comportava-se como única dona da empresa, exigindo que este negócio fosse desenvolvido à imagem e semelhança dos ditames do regime. Isto é, ao estilo “quero, posso e mando”.

Como a Sonae, apesar de várias tentativas, não conseguiu digerir as regras peculiares a quem, com a cobertura do seu pai, não olha a meios para atingir os (seus) fins, Isabel dos Santos chamou a si a criação de mais uma empresa exclusivamente sua e assim nasce a cadeia de hipermercados “Candando”.

Para a dirigir foi buscar Miguel Osório que, indiferente às regras éticas de reserva perante a entidade patronal em que trabalhava, a Sonae, abriu o jogo a Isabel dos Santos. A empresária agradeceu. E como nos negócios em geral, e nos com Angola em particular, não há ética nem reserva, ai está mais uma vitória para o clã Eduardo dos Santos.

Miguel Osório deu hoje, em Luanda, uma conferência de imprensa em que anunciou a criação do grupo Contidis (100% propriedade de Isabel dos Santos) que, a partir de agora, vai pôr no terreno tudo o que a Sonae previra e estudara, mas com a marca “Candando” (“kandandu” “Abraço”).

De acordo com Miguel Osório, Isabel dos Santos planeia investir 256 milhões de euros durante os próximos cinco anos. O primeiro híper deverá ser inaugurado no primeiro semestre de 2016, em Talatona, no shopping Avenida que – por mero acaso – também é propriedade da filha do presidente vitalício de Angola.

Miguel Osório, CEO da Conditis, afirma “que o novo ‘player’ vai apostar na crescente exigência do consumidor angolano, considerando que ainda existe, no mercado da distribuição moderna, um ‘défice de metro quadrado por habitante”.

Fazendo uso do que diria se estivesse a falar da marca “Continente”, Miguel Osório diz que a Conditis será uma referência no sector, e que a sua relação com os produtores nacionais e a montagem de “infra-estruturas logísticas farão a diferença”.

Partilhe este Artigo