O Banco BPI diz estar a “estudar soluções” para o Banco de Fomento Angola (BFA), onde detém 50,01% do capital, sublinhando que são “possíveis várias” saídas que estas estão a ser estudadas por duas instituições financeiras.

O esclarecimento do BPI foi divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) de Portugal em reacção a uma notícia de hoje do Jornal de Negócios, segundo o qual o “BPI põe Angola à venda”, reforçando que o “BPI tem operação angolana à venda”.

O jornal adianta que a Goldman Sachs “está a sondar potenciais interessados no BFA” e que “a venda da operação é uma das soluções para a redução da exposição do grupo de Fernando Ulrich ao mercado angolano, exigida pelo Banco central Europeu”.

Em resposta, o BPI diz que o Banco BPI “está a estudar soluções para acomodar o limite de exposição a grandes riscos decorrente da exposição do Banco de Fomento Angola ao Estado Angolano e ao Banco Nacional de Angola”, lembrando que o mesmo “tema” foi “desenvolvidamente” apresentado em comunicado publicado no passado 16 de Dezembro.

“Para acomodar o limite de exposição a grandes riscos acima mencionado, são possíveis várias soluções, tendo o Banco BPI contratado duas instituições financeiras internacionais para lhe prestar apoio na análise e exploração dessas soluções”, refere o comunicado.

O BPI acrescenta ainda que “até ao momento” não tomou qualquer decisão quanto à solução a adoptar e que prestará informação ao mercado logo que ocorram desenvolvimentos que o justifiquem.

Recorde-se que, o ano passado, o BFA foi duplamente distinguido, em Londres, Reino Unido, com os prémios “Melhor Banco em Angola” e “Melhor Banco Privado em Angola”.

Segundo uma nota do BFA, os reconhecimentos foram atribuídos pela revista britânica “EMEA Finance” que levou em consideração a performance do banco durante os últimos meses.

“Esta é a quinta vez consecutiva, desde 2009, que a Revista EMEA Finance distingue o BFA com o prémio de Melhor Banco em Angola. A publicação reconhece o crescimento sólido da instituição bancária”, refere o documento do BFA.

EMEA Finance é uma revista bimestral, com sede em Londres, direccionada para a comunidade financeira da Europa, Médio Oriente e África.

A revista Informa sobre os principais acontecimentos financeiros, analisa e classifica o desempenho das principais instituições bancárias em diversos países.

Partilhe este Artigo