A Bolsa de Dívida e Valores de Angola (Bodiva) já negociou mais de 440 milhões de dólares de títulos do tesouro angolano, menos de metade da operação esperada para este ano, que arrancou em Maio.

D e acordo com o relatório mensal da Bodiva sobre as transacções realizadas, foram movimentadas pelos membros (bancos) da bolsa angolana, em Setembro, 81.158 obrigações de tesouro (OT), num montante de 12.055 milhões de kwanzas, equivalente a 88 milhões de dólares.

As operações de Setembro foram asseguradas exclusivamente por bancos de origem portuguesa, casos do Banco Fomento Angolano (BFA), detido pelo BPI, e pelo Banco Millennium Angola.

Em Agosto tinham sido negociadas de 39.434 OT, movimentando cerca de 47 milhões de dólares, enquanto a negociação de 63,2 mil títulos ascendeu em Julho a 71 milhões de dólares.

Segundo a Bodiva, as primeiras negociações no Mercado de Registo de Títulos do Tesouro (MRTT) arrancou a 20 de Maio, mês em que foram transaccionados 47 milhões de dólares.

Em Junho, o montante elevou-se a 188 milhões de dólares neste mercado secundário de dívida pública.

“Está a correr dentro das expectativas, em termos de negociação até superarmos, de alguma maneira, o que prevíamos para o mercado de registo de transacção de títulos”, disse em Julho o presidente do Conselho Executivo da Bodiva, Pedro Pitta-Groz.

Em causa, nesta primeira fase, está a transacção em bolsa, pelos membros, de obrigações do tesouro, com “risco Estado” e indexadas ao dólar, mas negociadas maioritariamente em kwanzas, que pagam o valor do cupão e juros das respectivas maturidades.

Neste processo, os bancos funcionam como únicos intermediários financeiros autorizados a realizar operações no Mercado de Valores Mobiliários.

Com a inclusão de novos membros, a Bodiva prevê atingir este ano até 1.000 milhões de dólares.

Angola é a quinta maior economia de África e registou em 2014 um Produto Interno Bruto (PIB) de 131,4 mil milhões de dólares, um crescimento de 3,9% face a 2013.

Partilhe este Artigo