O banco Atlântico Europa, de capitais angolanos e ligado à Sonangol, fechou 2014 com um lucro de quase 3,8 milhões de euros, uma subida de 71% face a 2013.

O banco liderado por Carlos Silva, que é igualmente accionista, apurou em 2014 um poduto bancário de 20,4 milhões de euros, sustentado ”no aumento de 35% das comissões líquidas” que compensaram “a queda da margem financeira em 7%”.

Numa nota enviada à comunicação social, a instituição financeira, cujos escritórios são em Lisboa, refere a “evolução positiva dos custos de funcionamento, em especial na rúbrica de custos de terceiros” que caiu para 9,4%. Já o crédito concedido ultrapassou os 100 milhões de euros e os recursos totais cifraram-se em 461 milhões de euros. O rácio de solvabilidade está agora em 17,6%. Quer a Sonangol (com 20%), quer Carlos Silva, através da Interoceânico, são accionistas do BCP.

Criado em 2009, o banco Atlântico Europa pertence ao banco angolano Atlântico, que, ao lado da Sonangol, é também accionista da instituição financeira que o BCP detém o Millennium Angola.

Partilhe este Artigo