As exportações dos vinhos da península de Setúbal (Portugal) para Angola têm aumentado ao longo deste ano. A qualidade é a alma do negócio que, ao que tudo indica, vai continuar a expandir-se.

Opresidente da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS), Henrique Soares, explica que os “números alcançados” devem-se ao “investimento nos últimos anos das entidades do sector” e dos “produtores da península de Setúbal” neste mercado, bem como ao “aumento de qualidade dos vinhos da região” e dos “preços competitivos”.

Henrique Soares entende, por isso, que os “números são encorajadores” e garante que pretendem “trabalhar cada vez mais este mercado”.

O responsável da CVRPS salienta que está em marcha o “Plano Estratégico de Promoção Internacional 2014/2015” dos vinhos da península de Setúbal, que tem como “mercados prioritários Brasil, China e Angola”.

As acções de promoção no mercado angolano no mês de Outubro contaram com a primeira ronda enogastronómica dos vinhos da península de Setúbal em Angola, acrescenta Henrique Soares. As acções de promoção, “pensadas para cativar a atenção dos profissionais do sector, críticos, jornalistas e importadores angolanos”, tiveram a presença dos produtores Adega de Pegões, Adega de Palmela, Bacalhôa, Vinhos de Portugal, Casa Ermelinda Freitas, José Maria da Fonseca, Quinta do Piloto, Herdade da Comporta, SIVIPA e Venâncio da Costa Lima, lembra a CVRPS.

Nos primeiros nove meses deste ano, quatro milhões de litros de vinho da península de Setúbal foram exportados para Angola, o que representa um crescimento de um milhão 476 mil litros face ao período homólogo.

Este crescimento impulsionou, este ano, a quota de mercado dos vinhos da península de Setúbal em Angola para os 17 por cento, numa altura em que o mercado angolano representa 40 por cento das exportações extra-União Europeia dos vinhos da região, “sendo o principal destino fora da Europa”, informa a Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal.

Partilhe este Artigo