A Sonangol quer prescindir dos seus serviços médicos e, de forma unilateral, obrigar os seus trabalhadores afectos aos mesmos a rescindir contrato com a empresa e a fazerem um novo acordo laboral com a Clínica Girassol. Trata-se de um despedimento colectivo porque, de facto, não existe a obrigatoriedade de a Girassol assimilar esses funcionários.

Uma das cláusulas do contrato de despedimento por parte da Sonangol determina que, após a rescisão, o novo empregador avaliará da necessidade, ou não, desses funcionários, podendo nem sequer os admitir.

Os trabalhadores poderão ser indemnizados, mas desconhecem-se valores e fórmulas de cálculo. Sabe-se, contudo, que a Sonangol vai alocar o seu orçamento deste sector à Clínica Girassol. Ou seja, esta fica com o dinheiro que a petrolífera gastava nesta actividade, mas não com os encargos inerentes e relativos aos trabalhadores.

Para abocanhar este chorudo negócio, a Clínica Girassol não está a olhar a meios, pouco se importando com o despedimentos de funcionários da petrolífera, ou seja, do Estado.

A Sonangol ainda recentemente foi “major sponsor” da Girassol no 2º Congresso da clínica, que decorreu no Centro de Convenções de Talatona e que contou com a presença de 60 oradores internacionais e 70 nacionais.

A Sonangol, de acordo com o seu perfil de empresa publica, diz que opera com excelência em processos, qualidade nos seus serviços e produtos e “consciência de que saúde e bem-estar são fundamentais para administrar uma produção de petróleo diária de altíssima qualidade”.

Não se inibe, aliás, de dizer que é “um exemplo de competência e confiança, uma referência em África e no mundo, cumprindo assim a dupla tarefa de se realizar como empresa integrada e actuar como força produtora e transformadora dos recursos petrolíferos em Angola”.

“Temos uma força de trabalho de aproximadamente 10.000 (dez mil) colaboradores e contamos com a força das nossas empresas subsidiárias e de parcerias nacionais e internacionais, para transformar a maior riqueza natural de Angola em oportunidades de realização, orgulho e bem-estar social para mais de 14 milhões de angolanos.”

Para a Sonangol, produzir petróleo é também “uma oportunidade de valorizar o património humano e abrir caminhos para o crescimento da nação angolana. Baseada na crença de que criar valor e fazer bem são duas realidades indissociáveis, para além de gerar emprego e tecnologia, a Sonangol tem, como missão, o desenvolvimento sustentado, expresso no apoio a projectos sociais, ambientais, culturais, científicos e desportivos.”

Por sua vez, a Clínica Girassol tem acordos de parceria e convénios com múltiplas entidades e organismos, como são os casos: Advance Care (Tranquilidade), África Assistance, AIMS – Alliance International Medical Service, Atlas Group, CEGA, Europe Assistance IHS, Europe Assistance PT, GMC – Henner, ISOS Internacional HCM: LNG, Chevron, Cobalt, Bp, Esso, Mediplus: Universal Seguros, Mundial Seguros, Casais Angola, Mundial Seguros – AMUSE, NOSSA Seguros (Oraclemed), Pericargas e Unisaude.

Diz a Clínica Girassol que com cerca de 120 médicos especialistas, o seu Departamento de Ambulatório e Prevenção é o mais sofisticado e bem sucedido do país e que conta com equipas multidisciplinares nas mais variadas especialidades e serviços 24 horas por dia.

Partilhe este Artigo