O Ministério da Educação poderá optar pela edificação de escolas pré-fabricadas com tecnologia blockhaus (sistema construtivo ecológico e inovador), cujo projecto foi apresentado em Luanda pelo representante em Angola do grupo italiano ES-KO, Stefano Daperno.

O projecto, denominado “A nossa escola cuia”, foi apresentado numa cerimónia assistida pelo ministro da Educação, Mpinda Simão, na residência do embaixador da Itália em Angola, Giogio Di Pietrogiacomo, no âmbito da divulgação das actividades que ES-KO vem desenvolvendo no país, onde opera há mais de 30 anos.

Em declarações à imprensa, no final da amostra de estruturas montadas em outros países, através de um ecrã e material físico (tipo de madeira utilizada na sua montagem), o ministro considerou o projecto bastante interessante, tendo em conta a rapidez na sua execução e outros factores ecológicos.

“É uma questão de análise do custo e benefício que nos poderá levar a optar por um projecto destes”, admitiu o governante, acrescentando que o mesmo afigura-se uma solução para casos de urgência para acudir situações em áreas onde houver carência de escolas.

Segundo Mpinda Simão, os técnicos do Ministério da Educação irão analisar a informação para se tomar uma decisão, tendo se mostrado favorável em aderir essa tecnologia nos momentos em que for necessário.

De acordo com explicações dadas pelo engenheiro do grupo ES-KO, um metro quadrado da estrutura custa cerca de 500 dólares e a montagem de uma sala de aulas, com 60 metros quadrados, pode ser feita em cinco dias, sendo a durabilidade de 30 anos.

O grupo que nos últimos anos incrementou a gama de serviços de logística, iniciou a sua actividade na Europa em 1955, mediante ao envio de géneros alimentícios e outros produtos para empresas europeias que operavam em África, Médio Oriente e na América.

Actualmente, a empresa está presente em mais de 20 países e fornece apoio às Missões de Paz das Nações Unidas destacadas no Sudão, no Sudão do Sul, na República Democrática do Congo, no Haiti, em Darfur, na Libéria, no Sahara Ocidental e no Líbano.

Partilhe este Artigo