O presidente da Repsol, Antonio Brufau, anunciou hoje a descoberta de petróleo no primeiro poço que a multinacional espanhola está a perfurar no pré-sal angolano, em águas profundas, na bacia do Kwanza.

Em causa está uma operação no bloco 22/11, em que a Repsol detém 30 por cento da sociedade além de operador desta perfuração, conhecida como “Locosso”, a mais de 4.500 metros de profundidade (água, solo e camada de sal).

“Há petróleo”, disse hoje Antonio Brufau, citado pela agência Bloomberg, acrescentando que está a ser avaliado o potencial comercial da descoberta feita neste poço.

“Angola vai dar muitos resultados [pré-sal, tido com potencial idêntico ao do Brasil], não apenas para nós, mas para os outros [operadores] também. As perspectivas para Angola são boas, não tão boas como o Brasil, mas boas”, acrescentou.

De acordo com dados do Ministério dos Petróleos de Angola, o consórcio que detém os direitos sobre o bloco 22/11 – também a concessionária angolana Sonangol (50%) e a norueguesa Statoil (20%) – já investiu 94 milhões de dólares nesta prospecção, pouco mais de metade do montante previsto.

Angola é o segundo maior produtor de petróleo na África subsariana, tendo registado uma produção diária de cerca de 1,8 milhões de barris em Setembro, recuperando das quebras do primeiro semestre do ano.

O petróleo representou 76% das receitas fiscais angolanas em 2013, segundo dados do Ministério das Finanças.

Partilhe este Artigo