O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, elegeu hoje o desenvolvimento da agricultura como o principal desafio pelo qual os guineenses devem lutar, no dia em que celebram 41 anos da independência do país.

Dirigindo-se aos deputados numa sessão comemorativa no Parlamento, José Mário Vaz afirmou que, se no passado alguns guineenses pegaram em armas para acabar com a dominação colonial, hoje o desafio é desenvolver a agricultura e acabar com a insuficiência alimentar.

O cultivo do arroz, base da dieta alimentar dos guineenses, deve ser o centro das atenções de todos os guineenses, defendeu José Mário Vaz. Uma vez combatida a insuficiência alimentar, muitos problemas políticos serão debelados na sociedade guineenses, sublinhou.

“A instabilidade politica não é a causa dos nossos problemas, é uma mera consequência dos nossos insucessos. A insuficiência alimentar também contribui significativamente para a instabilidade”, destacou José Mário Vaz.

O Presidente guineense disse estar pronto “e na linha de frente” para desencadear um vasto programa de produção do arroz no país, tendo para o efeito convidado todos os guineenses, sobretudo os jovens.

No discurso de hoje, o Presidente disse que valeu a pena conquistar a independência, notando que o país tem hoje mais pontes, mais escolas, médicos, engenheiros e outros profissionais qualificados, ainda que tenha ficado muita coisa por fazer.

José Mário Vaz pediu aos guineenses para olharem para o futuro do país com confiança, projectar o futuro colectivo com ambição, mas evitando as fracturas de um passado por vezes sombrio, referiu.

O líder guineense disse ser necessário “abrir novos caminhos e encurtar a distância” que separa a Guiné-Bissau do resto do mundo.

Avisou que vai haver mudanças nas estruturas do poder do Estado, nas Forças Armadas, e que não visarão pessoas em concreto, mas sim dotar o país de meios para se desenvolver.

José Mário Vaz elegeu também a paz, a estabilização e o crescimento económico como os grandes desígnios nacionais.

Partilhe este Artigo