“Um partido com oito meses de idade pode alterar o mapa político espanhol das últimas quatro décadas. Se se celebrassem agora as eleições gerais, o “Podemos” assumiria o primeiro lugar com 27%,7 dos votos, a 1,5 pontos do PSOE e a 7 pontos do PP, cuja intenção de voto cai para 20%”, refere o jornal “El País”.

Se as eleições fossem hoje, o “Podemos” não só alcançaria o PP e o PSOE em votos como superá-los-ia. Este é o resultado da sondagem da Metroscopia para o “El PAÍS” publicada este domingo, que aponta o “Podemos” como a primeira força política nas próximas eleições gerais espanholas com 27,7% dos votos, segundo uma estimativa do resultado eleitoral sobre voto válido (excluindo abstenção e não respostas). Ao PSOE são atribuídos 26,2% dos votos, ao PP 20,7%, a Izquierda Unida aparece com 3,8% dos votos e o UPyD com 3,4%.

Em intenção directa de voto, o “Podemos” atinge os 22,2%, acima dos 13,1% do PSOE e dos 10,4% dos populares. A Izquierda Unida obtém 3,7% das intenções de voto e o UPyD 3%. Já a abstenção fixa-se nos 36,8%.

91% dos inquiridos consideram má ou muito má a actual situação política no Estado Espanhol. Essa é a opinião de 68% dos que assumem que votariam PP, de 90% dos potenciais eleitores do PSOE e de 98% no caso dos cidadãos que apoiariam o “Podemos”, Esquerda Unida e UPyD.

Ainda que o diário espanhol avance que, mais do que uma verdadeira adesão às propostas do Podemos, estes resultados traduzem um voto de descontentamento, o “El País” destaca que “o tabuleiro político sofre uma reviravolta, na qual se consolida o espaço da formação que obteve cinco lugares no Parlamento Europeu no passado mês de maio”.

Face à sondagem publicada em Outubro, o “Podemos” duplica a sua intenção de voto, o PSOE recupera e o PP vê o seu resultado afundar.

Fonte: Esquerda.net

Partilhe este Artigo