O Executivo angolano deve prestar uma atenção especial à política de recrutamento do pessoal do sector da saúde, mormente nos concursos públicos de ingresso e de promoção, para aqueles trabalhadores que se encontram a labutar durante muitos anos na mesma categoria e os que aumentam os conhecimentos académicos e profissionais.

A ideia foi defendida nesta quinta-feira, em Luanda, no Centro Ortopédico de Viana, pelo representante do Sindicado da Saúde e Parceiros, Luís João, quando discursava no acto Central do Dia do Trabalhador da Saúde, que se assinala nessa data em todo o país.

Por seu turno, frisou que os problemas e desafios são enormes, para tal é necessário identificar e implementar formas inovadoras para ultrapassar as diversas situações no sector da saúde.

Acrescentou igualmente haver necessidade de diálogo permanente com os parceiros, de forma a encontrar soluções na actualização das diversas carreiras profissionais do sector.

O sindicalista avançou também que não obstante a nova Carreira de Enfermagem em vigor ter dado alguma dignidade aos profissionais, mormente na componente financeira, ainda existe algumas questões de interpretação e aplicabilidade a luz da nossa realidade social.

O nome de Américo Boavida é hoje associado ao Hospital Universitário de Luanda, e também à rua onde morava na infância. A data da sua morte em 1968, No leste de Angola, foi escolhida para institucionalizar em Angola o “Dia Nacional do Trabalhador da Saúde”.

Partilhe este Artigo