A Terra Peregrin, empresa que Isabel dos Santos, filha do presidente angolano José Eduardo dos Santos, usou para lançar a OPA (Oferta Pública de Aquisição) à PT SGPS, foi criada no dia 7 de Novembro de 2014 (há 3 dias) e tem um capital social de 51 mil euros.

A edição desta segunda-feira do Jornal de Negócios revela que Terra Peregrin, que lançou uma OPA sobre a PT, foi constituída na passada sexta-feira, poucos dias antes de ter anunciado a pretensão pública de aquisição da empresa portuguesa.

A empresa é uma sociedade gestora de participações sociais, constituída em Portugal, a 7 de Novembro, possuindo dois administradores, Isabel dos Santos e Mário Leite, o homem forte da filha do Presidente de Angola para os negócios em Portugal.

O mais curioso é que a Terra Peregrin detém um capital social de apenas 51 mil euros, quando ofereceu 1,21 mil milhões de euros pela Portugal Telecom, 1,35 euros por acção.

Para que a OPA seja considerada bem-sucedida, a empresa de Isabel dos Santos terá de adquirir pelo menos 50,01% das acções e dos direitos de voto correspondentes ao capital social da PT SGPS. O intermediário financeiro da operação é a Caixa – Banco de Investimento.

Ao que parece, os areópagos políticos e jornalísticos de Lisboa estão a duvidar da sustentabilidade financeira da Terra Peregrin (pelo seu parco capital social, 51 mil euros), bem como da sua idoneidade empresarial, por ter sido fundada há poucos dias.

Ledo engano. Dinheiro é coisa que não falta a Isabel dos Santos. Para ela tanto faz ter um capital social de 51 mil euros, 510 mil, ou cinclo milhões. O montante foi escolhido por que era suficiente para mexer com as águas putrefactas em que se encontra a PT. Dessa forma já conseguiu que os bagres viessem à tona.

Quanto a ser uma empresa recente, não parece ser um argumento válido. Em Angola, por exemplo, até seria possível á filha do Presidente avançar com uma empresa a constituir futuramente.

Além disso, como cortina de fumo (espesso e opaco) foi uma jogada de mestre. Enquanto o pessoal anda entretido com estas histórias de embalar (tolos, sipaios e similares), Isabel está calmamente a preparar outras jogadas, outras compras.

Partilhe este Artigo