O Colégio Cesária Évora, nos arredores de Paris, inaugurado recentemente, poderá vir a beneficiar de um programa de intercâmbio com uma escola de Mindelo, em Cabo Verde, disse a embaixadora de Cabo Verde em Paris.

“Espero que seja o início de uma relação entre o colégio Cesária Évora e uma escola secundária em Cabo Verde, talvez em Mindelo, a cidade natal da Cesária (Évora), onde ela viveu e está enterrada”, disse Fátima Veiga, acrescentando que lançou o repto do programa de intercâmbio e de geminação aquando da inauguração do Colégio Cesária Évora, na cidade francesa de Montreuil.

Fátima Veiga acrescentou que “a ideia foi lançada e aceite”, sendo os próximos passos a discussão da modalidade e do financiamento dos programas “para as crianças conhecerem a terra da Cesária Évora mas também para conhecerem um país africano que está a fazer algum avanço no domínio tecnológico”.

O nome da cantora cabo-verdiana foi atribuído ao colégio francês pelo Conselho Geral do Departamento de Seine-Saint-Denis, nos arredores de Paris.

“Chamar ao novo colégio de Montreuil Cesária Évora é uma forma de prestarmos homenagem a esta enorme artista cabo-verdiana e é, também, uma forma de celebrarmos a cultura popular e a diversidade cultural que fazem a riqueza de Seine-Saint-Denis”, indicou o presidente do Conselho Geral do Departamento, Stéphane Troussel.

A decisão não agradou ao “Comité Citoyen Montreuillois” (“Comité de Cidadãos de Montreuil”) que esperava que a escolha do nome da nova escola recaísse sobre “Madeleine e Louis Odru”, personalidades do mundo do ensino da cidade de Montreuil que se destacaram na luta contra a ocupação alemã durante a Segunda Guerra Mundial.

“Claro que reconhecemos o talento desta artista mas havia outra proposta e uma promessa feita à família de Madeleine e Louis Odru, um casal de resistentes. Era um dever de memória. Esta proposta tinha sido inicialmente retida pelo autarca e pelo Conselho Geral e depois mudaram de ideias”, disse Axel Norbelly, porta-voz do comité e vereador em Montreuil.

O nome de Cesária Évora vai agora ficar ligado a esta escola moderna, alimentada por painéis fotovoltaicos, com manuais digitais, salas equipadas com videoprojectores interactivos, impressoras a 3D, tablets e até um videoprojector em 3D.

Em Maio, a cidade de Clichy já tinha inaugurado a Sala Cesária Évora no Théâtre Rutebeuf e, em Junho, a Assembleia Municipal de Paris aprovou a atribuição do nome de Cesária Évora a uma rua da capital francesa, no 19° bairro, um projecto que deverá ser concretizado em 2015.

“Ela foi uma embaixadora de Cabo Verde em França”, disse  Hermano Sanches Ruivo, vereador luso-francês do 14º bairro de Paris, sublinhando “a visibilidade da comunidade lusófona e a presença de lusófonos ou lusófilos, os amantes dessa cultura” aquando da escolha de nomes para instituições ou ruas.

A “diva dos pés descalços” morreu em Dezembro de 2011 e foi na capital francesa que lançou a sua carreira internacional, no início dos anos 80, tendo recebido, em 2009, a Legião de Honra francesa.

Partilhe este Artigo