O Ministério da Indústria vai, em 2015, arrancar com novas unidades fabris, melhorar o funcionamento das empresas já instaladas e continuar o trabalho iniciado em 2014, referente à criação de condições atractivas para o fomento e desenvolvimento da indústria no país, anunciou hoje, sexta-feira, em Luanda, a titular da pasta, Bernarda Martins.

E m entrevista à Angop, para fazer o balanço do sector que dirige, Bernarda Martins considerou positivo o ano que termina, na medida em que o sector industrial cresceu e apresenta perspectivas de continuar o seu crescimento nos próximos anos.

“O balanço é bastante positivo. A indústria cresceu e as perspectivas são de maior crescimento ainda. Para o próximo ano, perspectiva-se a continuação de tudo o que já se deu início, a melhoria das indústrias já instaladas, com um bom leque de algumas que estão previstas, algumas delas em fase de arranque para o próximo ano e outras com boas perspectivas de iniciar as suas implantações”, sublinhou Bernarda Gonçalves Martins.

Referiu que o sector finaliza ano com o Censo da Indústria de Angola, facto que levará o país a ter ideias claras sobre o que é preciso fazer para melhorar, alavancar e apoiar essas indústrias, para que a diversificação da economia possa ser apoiada pela indústria transformadora.

“Se a indústria transformadora tiver um grande avanço, também poderemos contar com a criação de postos de trabalho”, disse a ministra.

Bernarda Martins sublinhou que o sector tem vindo a crescer a uma taxa média anual de oito porcento, prevendo-se para 2015 que esta cifra atinja os 11,2 por cento. A participação do sector no Produto Interno Bruto (PIB) está na ordem de 6,25 por cento.

Instada a pronunciar-se sobre os subsectores considerados prioritários para o país neste momento, a governante informou que o Programa de Industrialização, que consta do Programa Nacional de Desenvolvimento (PND), elegeu como prioritárias a indústria de alimentos, bebidas, vestuário, calçado, materiais de construção, materiais metálicos e não metálicos, reciclagem e equipamentos de transportes.

Bernarda Martins informou também que foram identificados alguns ajustes de apoio ao PND, como a criação de um ambiente favorável para o desenvolvimento das indústrias, que tem a ver com a criação de condições para a instalação das mesmas, nomeadamente o tecido industrial, condições físicas em terreno industrial e infra-estruturas.

Partilhe este Artigo