A dívida dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) a Portugal subiu no ano passado 3,5%, para 3.508 milhões de dólares, de acordo com dados hoje divulgados pelo banco central português.

Adívida oficial dos PALOP a Portugal ascendia, no final de 2013, a 3.508 milhões de dólares [2.791 milhões de euros], continuando a trajectória ascendente que se evidencia desde 2005, lê-se num relatório do Banco de Portugal.

O documento, apresentado no âmbito dos XXIV Encontros de Lisboa entre os bancos centrais dos países lusófonos, pormenoriza que “o conjunto das dívidas directa ao Estado português e por este garantida aumentou 122 milhões de dólares no ano findo (mais 3,5%), ainda que em abrandamento relativamente aos acréscimos de 808 milhões de dólares e 243 milhões registados em 2011 e 2012, respectivamente”.

O documento explicita que “ainda que em evidente e continuada redução desde 2011, a dívida de Angola é claramente dominante neste conjunto de países, perfazendo 1.456 milhões de dólares no final de 2013, o que corresponde a quase 41% do total”.

No ano passado, a dívida angolana reduziu-se em 115 milhões de dólares, “conjugando a amortização contratualizada da dívida directa vincenda, dando seguimento ao estipulado no acordo de reescalonamento assinado com as autoridades portuguesas em 2004, e a redução da dívida garantida, com o menor volume de seguros sobre as exportações para aquele país”.

A dívida de Moçambique, por seu turno, aumentou em 2013 para 1.245 milhões de dólares, passando a representar 35% do total da dívida dos PALOP: “O aumento registado relativamente a 2012, de 66 milhões de dólares, decorreu uma vez mais da utilização de linhas de crédito concessionais acordadas com Portugal em 2008 e 2009, para financiamento de projectos de investimento em infra-estruturas, e do incremento do volume de exportações com garantia do Estado”, conclui o relatório.

Partilhe este Artigo