A brasileira Oi considerou hoje “inaceitáveis” as condições estipuladas na Oferta Pública de Aquisição (OPA) de Isabel dos Santos, referindo que não fará qualquer modificação “nos actos societários, contratos definitivos e demais instrumentos firmados”.

Em comunicado, a Oi diz que “decidiu, por unanimidade, rechaçar quaisquer propostas para alteração dos termos da Operação, ratificando, por consequência, a manifestação feita pela Directoria da Oi através de Facto Relevante divulgado nesta data no sentido de considerar descabida qualquer alteração dos termos previamente acordados nos Contratos Definitivos celebrados com a PT SGPS em 8 de Setembro de 2014”.

A Oi reafirma ainda o seu compromisso com os investidores e com o mercado “de promover a migração da sua base accionária para o Novo Mercado da BM&FBovespa, através da incorporação das suas acções pela Telemar Participações SA (CorpCo)”.

A Terra Peregrin — Participações SGPS, da empresária angolana Isabel dos Santos, anunciou no domingo à noite o lançamento de uma OPA sobre a PT SGPS, oferecendo mais de 1,21 mil milhões de euros pela totalidade das acções da empresa portuguesa, ao preço de 1,35 euros por acção.

Partilhe este Artigo