A Associação Artística e Cultural Mindelact está à procura de parcerias com instituições portuguesas para a possibilidade de atribuição de bolsas de especialização a jovens cabo-verdianos nas diversas disciplinas do teatro, informou o presidente.

“Já fizemos os primeiros contactos e estamos a trabalhar nesse sentido”, confirmou Daniel Monteiro, em declarações à agência Lusa, que não especificou as instituições portuguesas, mas garantiu que a formação de jovens nas diversas disciplinas ligadas às artes cénicas faz parte dos projectos da Associação.

Daniel Monteiro indicou a Associação Artística e Cultural Mindelact tem um protocolo com uma escola de teatro de São Paulo, Brasil e está a tentar recuperar outras cooperações “que se afastaram”.

Para o presidente, o grande problema do Mindelact é o financiamento. “Ainda estamos atrás de dinheiro para pagar facturas do ano passado”, indicou, garantindo, porém, que o evento não está em risco e que vai continuar a correr “muito bem”.

“Mas temos de prevenir e ter capacidade financeira para pagar grande parte das facturas”, reconheceu, dizendo que o orçamento inicial de 12 mil contos (109 mil euros) só foi conseguido “no papel” e confirmou que as verbas, habitualmente provenientes de parceiros, nomeadamente empresas, caíram na ordem de 80% a 90%.

“As empresas estão a passar por uma fase difícil e nós também estamos inseridos nessas dificuldades. Temos de encarar isso com alguma naturalidade e arranjar outras formas de minimizar os custos, realizando outras actividades e procurando outras parcerias”, mostrou.

“Estamos habituados a lidar com as dificuldades financeiras, mas temos de começar a trabalhar com outras instituições de forma a fazer alguma reflexão e conseguir alguma resposta de parcerias para termos o nosso orçamento em Abril de cada ano”, prosseguiu.

Daniel Monteiro disse que o Mindelact já ganhou “grande responsabilidade”, principalmente com as crianças do Mindelo, que não pode continuar com incertezas e com dificuldades financeiras.

Sobre o Ministério da Cultura, garantiu que o relacionamento é “estável e excelente”.

O presidente da Associação Mindelact reconheceu que o Mindelo, uma cidade com cerca de 80 mil pessoas, já precisa de uma sala de espectáculos com maior capacidade do que os 220 lugares da sala no Centro Cultural do Mindelo (CCM), mas entendeu que essa é uma tarefa que deve contar com o envolvimento de outras instituições públicas e privadas.

A Associação Artística e Cultura Mindelact, uma organização não-governamental, foi formada em 1996, um ano após a criação do festival, e foi reconhecida como pessoa jurídica em Fevereiro de 1997.

Partilhe este Artigo