Os médicos militantes do MPLA foram exortados hoje, quarta-feira, em Luanda, a uma maior entrega para que a sua atitude diária no local de trabalho possa contribuir, com afinco, na cura dos doentes e ajudar Angola a ser um país moderno, solidário e aplicativo.

A exortação foi feita pelo primeiro secretário do comité de especialidade dos médicos do MPLA, quando intervinha na abertura da sua primeira reunião extraordinária, destinada a eleger os delegados a dois eventos do partido que serão realizados este ano, na capital do país.

Trata-se da Conferência Extraordinária provincial de Luanda do MPLA, fixado para o dia 11 de Outubro, e do V Congresso Extraordinário do partido, a decorrer de 7 a 10 de Dezembro, sob o lema “MPLA – Revitalizar as estruturas para fortalecer o partido”.

“Um dos maiores desafios do momento para os profissionais da saúde é a melhoria da qualidade dos serviços prestados à população”, enfatizou o responsável, lembrando que garantir um serviço de qualidade à população implica uma total disponibilidade do médico como servidor público.

No decurso dos trabalhos, orientados pela secretária provincial da Organização da Mulher Angolana (OMA), Eulália Rocha, os participantes elegeram quatro delegados ao congresso e nove à conferência provincial.

Participaram no encontro, na qualidades de convidados, o ministro e o secretário de Estado da Saúde, José Van-Dúnem e Carlos Alberto Masseca, respectivamente, e ainda o bastonário da Ordem dos Médicos, Carlos Alberto Pinto de Sousa.

O MPLA em Luanda controla, actualmente, 16 comités de especialidades, órgãos de consulta e assessoria à direcção do partido que agrupam militantes com formação especializada em áreas temáticas importantes da vida política, económica, social, cultural, técnica e científica.

Partilhe este Artigo