O sociólogo angolano M’bangula Katúmua admitiu hoje, quinta-feira, em Benguela, que o preço elevado dos livros no mercado tem afastado muitos leitores angolanos, principalmente jovens, impedindo de exercer uma cidadania com capacidade analítica e reflexiva.

O mestre em Sociologia dissertava numa palestra subordinada ao tema “A importância da leitura e os seus benefícios”, promovida pelo Movimento Shalom, no âmbito dos 39 anos da Independência de Angola e do 40º aniversário de existência desta organização afecta à Igreja Católica.

Para M’bangula Katúmua, o preço elevado torna o livro inacessível para a maioria dos leitores mais jovens, não obstante haver já em Angola alguns movimentos que trabalham em programas dirigidos à promoção da leitura.

“Os angolanos não são tão maus leitores como se costuma dizer, pois o problema é que o preço dos livros fica muito alto e isso atrapalha a vida de quem gosta de ler”, disse M’bangula Katúmua, acrescentando que quando os livros são baratos as pessoas compram-nos e lêem, tendo dado como exemplo as obras vendidas a preços módicos nas feiras.

No entanto, afirmou que o livro continua a ser um instrumento de aproximação cultural, na medida em que permite a veiculação de informação sobre as diferentes culturas e, principalmente, a difusão do conhecimento científico.

Com efeito, M’bangula Katúmua reconheceu que Angola tem de criar estratégias para tornar o livro num produto de consumo diário, o que passa essencialmente pela flexibilização das políticas no domínio do mercado livreiro.

Partilhe este Artigo