No dia 30 de Outubro (5ª feira) pelas 18H30 no Camões – Centro Cultural Português, em Luanda, será inaugurada a exposição “Jugular” da artista portuguesa Ana Vidigal, que ficará patente ao público até dia 13 de Novembro.

Ana Vidigal nasceu em Lisboa, onde se licenciou em Pintura na Escola Superior de Belas Artes. Em 1999, conquistou o Prémio Maluda e, em 2003, o Prémio Amadeo de Sousa Cardozo.

A exposição “Jugular” reúne um conjunto de 40 trabalhos. Seis telas, sete desenhos e uma peça composta por 30 colagens emolduradas individualmente, com o título “30 Anos de Mim Mesma”

Na pintura, a artista utiliza tinta acrílica sobre tela com colagens de materiais diversificados: etiquetas, papel vegetal, fotografia, bordados e fita adesiva. A escolha destes materiais procura evocar todo o universo do labor feminino, ao mesmo tempo que lança um olhar critico e irónico sobre esse mesmo universo.

Angola foi fonte de inspiração, para este trabalho, conforme ressalta dos títulos das seis obras: “ixi ya mavu (terra de barro vermelho)”; “Angolar”; “Cacimbo”; “Beijoca”; “Suspirinho (por ti)” e “Kwanza”.

Os desenhos estão divididos em séries (série “Austeridade”; série “30 Anos de Mim Mesma”). Nesta última, a artista utiliza recortes das Selecções Reader’s Digest, da década 70, revisitando, deste modo, as memórias da sua adolescência.

Ana Vidigal expõe regularmente desde 1981. O seu percurso conta com 30 exposições individuais e mais 33 exposições colectivas. Em 2010, apresentou no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian a sua primeira exposição antológica, intitulada “Menina Limpa, Menina Suja”, com curadoria de Isabel Carlos.

Partilhe este Artigo