O governador em exercício do Huambo, Joaquim Rodrigues da Conceição, disse que os jornalistas da província do Huambo (e, se calhar, todos os outros) devem pôr todo o seu dinamismo e profissionalismo ao serviço do programa de desenvolvimento da região.

Segundo Joaquim da Conceição, que falava no final da gala de distinção dos melhores jornalistas de 2014, é necessário que a classe esteja, cada vez mais, dinâmica, porque têm a nobre missão de mobilizar a população e os técnicos locais, relativamente às acções de desenvolvimento da província.

Neste sentido, aconselhou ainda os jornalistas a estarem unidos e a conjugarem sinergias em torno da materialização e alcance dos objectivos preconizados no quadro da unidade e reconciliação nacional.

Joaquim da Conceição afirmou também que o arranque e sucesso do plano de desenvolvimento socio-económico do Huambo para os próximos anos, com 850 acções recentemente aprovadas pelo Conselho de Ministro, depende da classe jornalista para fazer chegar esses projectos as comunidades.

Por isso, de acordo com Joaquim da Conceição, será necessário maior empenho dentro da actividade jornalística, porquanto a sociedade está cada vez mais exigente, em função do processo actual de desenvolvimento económico e social do país.

Durante a gala foram distinguidos os jornalista Adérito Gayeta (RNA), Victoria Quintas (edições Novembro) e Celeste Fonseca (TPA) nas categorias de Rádio, imprensa e televisão.

Foram premiados também o operador de câmara Isaías Dovala (TPA), na categoria de fotojornalismo, bem como Benjamim Kaunda (RNA), na vertente de línguas nacionais.

Partilhe este Artigo