Especialistas brasileiros estão a formar, na província do Kuanza Norte, os primeiros técnicos angolanos na área da produção de peixe de aquicultura, que serão responsáveis pela posterior implementação de projectos do género em todo o país.

A informação foi revelada durante uma visita que o ministro da Pesca e Aquicultura do Brasil, Eduardo Lopes, está a fazer a Angola, para conhecer a implementação da política nacional do sector.

“Angola está num projecto de desenvolvimento da aquicultura e piscicultura de forma realmente inteligente. Encontramos aqui os técnicos brasileiros que estão a formar aqueles que serão os multiplicadores e que vão partir para Angola toda, trazendo o crescimento desejado pelo país”, declarou Eduardo Lopes.

O ministro falava durante uma visita ao Centro de Larvicultura de Massangano, no Dondo, Kuanza Norte, inserida no programa oficial da visita da comitiva brasileira que se estende até 20 de Novembro.

De acordo com Eduardo Lopes, o Brasil “olha com bons olhos para o sector da aquicultura e pescas de Angola”, tendo em conta o “grande potencial” do país, mas que “à semelhança do próprio Brasil pode ser muito melhor desenvolvido”.
Recorde-se que a província do Kuando Kubango vai receber um centro de larvicultura, investimento público superior a 12 milhões de euros que pretende fomentar a produção de peixe de aquicultura.

O investimento, autorizado por despacho presidencial do mês passado, visa aproveitar “as potencialidades híbridas” daquela província, lê-se no mesmo documento, que enquadra este novo centro na política nacional de fomento à aquicultura.

Esse plano nacional pretende “garantir a segurança alimentar e nutricional da população, bem como, em consonância com as directrizes do executivo angolano, relativas ao combate à fome, e a redução da pobreza no seio da população”, escreve o despacho, assinado pelo Presidente José Eduardo dos Santos.

A construção do Centro de Larvicultura do Kuando Kubango será assegurada pela empresa Aquafish – Global Solutions, por 14,7 milhões de dólares (11,5 milhões de euros), acrescida de uma empreitada de fiscalização.

A aposta no sector da aquicultura demonstra-se com a recente criação de uma pasta governamental para o sector.

O Presidente José Eduardo dos Santos nomeou, a 31 de Julho passado, Zacarias Sambeny para as funções de primeiro secretário de Estado das Pescas para a Aquicultura.

Partilhe este Artigo