O líder da Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), Afonso Dhlakama, acusou a Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique, no poder desde a independência) de gastar demasiado dinheiro na campanha e de exibir uma riqueza que pertence ao erário público.

“Onde é que a Frelimo foi buscar esse dinheiro? A Frelimo está a exibir riqueza proveniente de dinheiro roubado do erário público. Isso é crime num país onde as nossas senhoras morrem nos hospitais por falta de medicamentos e maus atendimentos”, disse Dhlakama num comício realizado em Pinda, distrito de Morrumbala, na província da Zambézia.

O presidente da Renamo, que na Zambézia, voltou a arrastar multidões para os seus comícios, à semelhança do que já fizera noutras praças fortes do seu partido no centro e norte do país, referiu-se aos meios desproporcionais da Frelimo, mencionando o caso de Maputo.

Partilhe este Artigo