A exposição itinerante de arte contemporânea angolana, com obras seleccionadas do acervo da ENSA- Seguros de Angola, chega finalmente a Portugal, e concretamente, a Oeiras.

Esta mostra acontece depois de passagem pelo Museu Luigi Pigorini, em Roma e da exibição na 55ª Bienal de Veneza, onde deixou uma marca distintiva num projecto artístico único. A exposição esteve integrada no Pavilhão de Angola que conquistou o maior galardão do evento, o “Leão de Ouro”.

Trata- se duma valiosa colecção de pintura e escultura representativa da história recente de Angola, que contempla os premiados em várias categorias do mais prestigiado concurso de artes plásticas do território angolano, no qual estão representados artistas como Jorge Gumbe, Francisco Van-Dúnem, António Ole, Fineza Teta e Marco Kabenda.

A exposição, que em Portugal toma o nome de Cores e Formas de Angola – Exposição ENSA-Arte, é constituída por 27 peças e irá ser exibida de 3 a 19 de Outubro em Oeiras, no Palácio Marquês de Pombal, que assim também vê abrir para a Arte, as portas e os jardins deste solar do século XVIII de inspiração francesa.

Para os responsáveis do projecto angolano, “a exposição itinerante, com uma programação orientada pela rotação de novas propostas artísticas que integram o acervo da ENSA- Seguros de Angola, tem também o objectivo de criar uma dinâmica cultural capaz de atrair públicos diversificados e desenvolver hábitos de fruição artística.”

Para o promotor do evento, a Câmara Municipal de Oeiras, “enriquecer a oferta museológica portuguesa, ao exibir obras dos grandes nomes da arte contemporânea angolana, é um privilégio para Oeiras e representa uma mais- valia indiscutível para Portugal”.

Numa iniciativa da Embaixada de Angola, a exposição inaugural tem lugar às 18H30 do dia 3 de Outubro no Palácio Marquês de Pombal e conta com a presença de altos dignatários do Governo Angolano e Português, o Embaixador de Angola, o Presidente da ENSA, o Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, e personalidades da sociedade civil angolana e portuguesa.

Partilhe este Artigo