A Itália quer reforçar a cooperação com Angola no domínio da Defesa, designadamente nos ramos da marinha de guerra, aviação e formação de quadros, afirmou hoje, terça-feira, o embaixador da Itália no país, Giogio Di Pietrogiacomo.

O diplomata que falava à imprensa no final de uma audiência com o ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, frisou que os dois países mantêm laços de amizade, daí que  Itália quer partilhar experiências com Angola para o progresso dos dois Estados.

Ressaltou neste contexto, que aproveitou a ocasião para apresentar um convite ao ministro da Defesa Nacional, para visitar Itália, no âmbito das relações bilaterais entre os dois países.

Por outro lado, disse que durante o encontro, foram abordados vários assuntos, dentre eles a recente visita do primeiro-ministro italiano ao país, que no encontro com o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, foi manifestado o interesse do governo italiano em continuar a trabalhar com Angola.

“Neste momento o comandante da Marinha de Guerra Angolana está de visita à Itália e o chefe do Estado Maior da Defesa italiana estará em Angola na primeira semana de Outubro. Temos de igual modo muitos estudantes angolanos na Itália. Estamos neste momento numa fase importante, por isso Itália quer reforçar a cooperação com Angola”, sublinhou.

A Itália foi o primeiro país da Europa Ocidental a reconhecer a independência de Angola, no dia 18 de Fevereiro de 1976, e a 4 de Junho do mesmo ano, estabeleceram-se as relações diplomáticas entre os dois Estados.

As relações de cooperação existentes entre Angola e a Itália tiveram o seu início em 1977, com a assinatura de um Memorando que institui a Comissão Bilateral, então Comissão Mista de Cooperação, ao que se seguiram a subscrição de vários outros instrumentos jurídicos.

Desde 1989, Angola foi considerada pela cooperação italiana, como um país de primeira prioridade, o que conduziu ao reforço das iniciativas italianas, que viriam a conhecer um impulso após a visita do Presidente José Eduardo dos Santos à Itália, em 1997, onde se encontrou com o então presidente Oscar Luigi Scalfaro.

Partilhe este Artigo