O Governo moçambicano lançou hoje em Londres e Maputo um concurso internacional para a concessão de 15 áreas de pesquisa e produção de hidrocarbonetos nas bacias do Rovuma, norte do país, e Moçambique, centro.

Falando aos jornalistas, à margem do lançamento do concurso em Maputo, o director de Avaliação de Recursos do Instituto Nacional de Petróleo (INP), José Branquinho, afirmou que o concurso incide sobre 12 áreas de prospecção de petróleo e gás na bacia de Moçambique e três na bacia do Rovuma.

Doze dessas áreas são para pesquisa em mar (‘onshore’) e três em terra (‘offshore’), explicou José Branquinho.

O director de Avaliação de Recursos do INP adiantou que o Governo moçambicano decidiu concessionar as referidas áreas de pesquisa encorajado pelas reservas de gás natural encontradas nas áreas vizinhas.

José Branquinho apontou a capacidade técnica e financeira como requisitos básicos para a selecção das empresas que vão concorrer.

O concurso, que em Londres foi lançado pela ministra dos Recursos Minerais, Esperança Bias, termina no próximo dia 20 de Janeiro.

Dados oficiais indicam que Moçambique tem reservas de gás natural estimadas em cerca de 200 biliões de pés cúbicos, estando a sua exploração projectada para começar entre 2017 e 2018.

Partilhe este Artigo