O Instituto Camões de Luanda apresenta entre os dias 22 a 24 deste mês uma exposição fotográfica de criadores de Angola, Moçambique, Brasil e Portugal, intitulada “Comunidades”.

Em “Comunidades”, serão apresentados trabalhos de artistas consagrados, originários de vários países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Na exposição serão apresentados 26 trabalhos, sendo 13 de Moçambique (nove de Filipe Branquinho e quatro de Mauro Pinto). De Portugal, seis (Pauliana Valente Pimentel), do Brasil, Gustavo Lacerda apresentará cinco fotografias, enquanto o angolano Kiluanji Kia Henda apresentará dois trípticos.

Segundo o curador da exposição, António Pinto Ribeiro, a constituição de “Comunidades” pode assentar em denominadores comuns, que ultrapassam as diferenças de identidades assumidas de uma forma rígida ou conflitos ancestrais.

“Estas comunidades, que ultrapassam o Estado nação pelo desejo de paz perpétua, podem agregar habitantes de territórios diferentes, ocupações profissionais variadas e até algumas expectativas em relação ao futuro, que não tenham partido necessariamente dos mesmos pressupostos”, afirmou.

Na exposição “Comunidades” são apresentados os trabalhos mais recentes de cinco artistas que há muito trabalham no seio de comunidades diferenciadas e diversas, conforme os interesses artísticos e políticos de cada fotógrafo e no respeito pelas realidades fotografadas.

Partilhe este Artigo