O segundo secretário do MPLA no Kuando Kubango, João António Lineha, reafirmou na localidade da Jamba, comuna do Luiana, município do Rivungo, que a paz definitiva conquistada em 2002 está a permitir reconstruir e construir o país, em particular a província que viu parte das suas infra-estruturas sociais e económicas destruídas ao longo do conflito armado.

Já la vão doze anos. Mais vale tarde do que nunca, não é? O dirigente, que falava no acto político de massas realizado na Jamba, antigo bastião militar da UNITA, destacou que fruto da paz, o Executivo angolano, liderado – para quem não saiba é sempre bom lembrar – pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, concebeu um programa denominado Plano Nacional de Desenvolvimento, que proveio do programa de governação que o MPLA apresentou ao seu eleitorado em 2012.

Segundo o político, terminada a guerra e estando a viver em momentos de paz, o Executivo angolano concebeu um programa destinado a reconstruir estradas, pontes, caminho-de-ferro, infra-estruturas sociais, entre outros projectos. A inda bem que o disse.

João António Linhea sublinhou que o governo angolano não está a reconstruir apenas o que foi destruído pela guerra: “Tem também estado a levar a cabo um vasto trabalho de construção de escolas, hospitais e outras infra-estruturas económicas e sociais a nível nacional”.

Lembrou que na altura da independência, em 1975, Angola tinha um número pequeno de quadros humanos e uma reduzida rede escolar e hospitalar.

Com a conquista da paz, acrescentou o 2º secretário do MPLA no Kuando Kubango, têm estado a ser executadas inúmeras tarefas de grande impacto social, como por exemplo a construção de escolas, a formação de quadros, a expansão do ensino superior em todo país, principalmente nas capitais das províncias, a extensão do ensino médio, factos esses que mostram a preocupação do Executivo na resolução dos problemas das populações.

O político fez notar ainda que até 2002 o comboio não apitava na cidade de Menongue, mas, fruto da paz a capital do Kuando Kubango tem recebido, com frequência, locomotivas com mercadorias diversas e passageiros que circulam entre as cidades de Menongue, Lubango e Namibe.

A reabilitação do aeroporto de Menongue também foi destacada pelo político.

João António Lineha disse que à semelhança do que aconteceu em outras regiões do país, a Jamba viveu momentos tristes, de miséria e de sofrimento, situação resultante dos tempos da guerra que durou mais de 30 anos e que deu lugar à destruição do mosaico cultural e de muitas infra-estruturas, deixou órfãos, mutilados e outros problemas no seio das populações.

Partilhe este Artigo