O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Miguel Frasquilho, defendeu hoje, à chegada a Macau, que Portugal se quer afirmar como parceiro da China na relação com os países de língua portuguesa.

AAICEP “pretende mostrar a disponibilidade de Portugal para poder ser a porta de ligação da China com os restantes países da CPLP, Comunidade dos País de Língua Portuguesa”, disse Miguel Frasquilho, em declarações à agência Lusa.

“Temos uma posição privilegiada, somos um país da União Europeia, isso faz com que a nossa posição seja muito interessante. Portugal pode e deve ser utilizado para este fim”, sublinhou.

O presidente da AICEP vai estar na Feira Internacional de Macau, que este ano conta a participação de cerca de 70 empresas portuguesas, e terá também vários encontros oficiais, além de assinar, na quarta-feira, um protocolo de cooperação com a Associação Comercial de Macau.

Nesta viagem à China, Miguel Frasquilho esteve já em Hong Kong, para um encontro com potenciais investidores de onde levou “bons indícios”.

“Correu bem. Estivemos com investidores locais, a sala estava cheia e apresentámos Portugal, o período que estamos a viver, e as oportunidades de investimento”, disse Miguel Frasquilho, salientando a “muito boa receptividade”.

Quanto ao programa dos vistos ‘gold’, Miguel Frasquilho não quis estabelecer objectivos para 2014, mas lembrou que “em pouco menos de dois anos” o investimento chegou “aos mil milhões de euros”. “Se continuarmos a este ritmo vamos ter boas notícias”, comentou.

Na quarta-feira, o presidente da AICEP participa num pequeno-almoço com empresários locais promovido pelo Banco Nacional Ultramarino, seguindo-se uma reunião com o secretário da Economia e Finanças, Francis Tam.

O almoço com empresários locais é promovido pela Câmara de Comércio Luso-Chinesa antes de reuniões na Associação Comercial de Macau e com o presidente do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM).

Na quinta-feira, Miguel Frasquilho participa na inauguração da Feira Internacional de Macau e tem uma intervenção agendada para o Fórum para o Comércio e Investimento Internacional promovido no âmbito do certame, que decorre até domingo.

Miguel Frasquilho deixa Macau na sexta-feira e antes de regressar a Portugal vai manter ainda encontros com empresários de Hong Kong.

Desde o início do programa, em Outubro de 2012, já foram atribuídos 1.564 vistos ‘gold’ – só este ano foram 1.068. A maioria, 1.249, foram atribuídos a cidadãos chineses.

Do total, 1.487 vistos foram atribuídos por compra de imobiliário, 74 por transferência de capitais e três por criação de empresa com mais de dez trabalhadores.

Partilhe este Artigo