A criação de um comité de gestão do centro histórico de Mbanza Congo, candidato a património mundial da UNESCO, foi hoje apreciada em Luanda pela Comissão para a Política Social do Conselho de Ministros.

E m declarações à imprensa no final da reunião, a ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, disse que o projecto de decreto presidencial que visa criar o comité de gestão participativa do cento histórico de Mbanza Congo, premissa para a inclusão no processo de candidatura, foi analisado no encontro.

Segundo a ministra, o dossier preliminar foi já entregue à UNESCO, tendo sido feitas recomendações que estão agora em processamento para a entrega e submissão definitiva, que deverá ocorrer a 31 de Janeiro de 2015.

“O documento que hoje apreciámos e que será aprovado em Conselho de Ministros, é uma peça que deverá ser incluída no nosso dossier. É uma peça que vai dar garantias à entidade que vai classificar o nosso bem, de que nós criamos todas as condições técnicas, sociais, culturais para a sua gestão, porque se assim não for não há classificação”, referiu Rosa Cruz e Silva.

A governante destacou que o objectivo é entrar para a lista, com o centro histórico de Mbanza Congo e todos os outros bens que Angola vem elegendo para o efeito, nomeadamente o complexo rupestre de Chitundu Hulu, na província do Namibe, sul de Angola, e o corredor fluvial do Kwanza.

Angola iniciou o processo de candidatura do centro histórico de Mbanza Congo a Património Mundial da Humanidade, em 2007, tendo já passado pela fase de escavações arqueológicas e de recolha de informações escritas nos arquivos de Vaticano e em Portugal.

Partilhe este Artigo