A Polícia de Manica, centro de Moçambique, deteve dois agentes policiais e o motorista de um camião assaltado na madrugada de sábado e do qual desapareceram boletins de voto para as eleições gerais de 15 de Outubro.

Segundo disse fonte oficial, as 26 caixas com boletins de voto terão sido roubadas na madrugada de sábado no cruzamento de Inchope (Manica), no interior de um contentor do camião, alugado pelo Secretariado Técnico de Administração Eleitoral, e cujos selos foram violados.

Os boletins de voto roubados, provenientes de Maputo, pertenciam a cinco assembleias do distrito de Pebane e um de Namacurra, na Zambézia (centro), o segundo maior círculo eleitoral de Moçambique.

Os detidos foram transferidos do Comando distrital de Gondola, em Manica, para a primeira esquadra na cidade de Chimoio, a capital da província, mas não foi adiantado o paradeiro do camião.

Contactado o porta-voz do Comando da Polícia de Manica, Belmiro Mutadiua escusou-se a pronunciar-se sobre a retenção do camião e a detenção dos três indivíduos, que voltaram a ser transferidos da primeira esquadra para outro lugar.

Por sua vez, o comandante da Polícia de Manica, Timóteo Bernardo, que confirmou a ocorrência, remeteu detalhes para segunda-feira, alegando ainda estar em curso mais investigações.

Citado hoje pela Estatal Rádio Moçambique (RM), Felisberto Naife, director-geral do Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE), o braço executivo da Comissão Nacional de Eleições (CNE), assegurou que os boletins roubados não poderão ser usados nas eleições de 15 de Outubro.

Naife sustentou que o facto de os números de série também servirem de código de segurança leva a que “qualquer boletim de voto com um número de série errado seja automaticamente rejeitado durante a contagem nas assembleias de voto”.

Ainda segundo o responsável, já foi ordenada a produção de novos boletins na África de Sul em substituição dos extraviados, que deverão chegar em tempo útil, dois dias antes da data das eleições.

Moçambique realiza eleições gerais (presidenciais, legislativas e das assembleias provinciais) a 15 de Outubro.

Partilhe este Artigo