Os bancos angolanos deverão contribuir com mais de 10 milhões de euros para o novo Fundo de Garantia de Depósitos, segundo cálculos baseados no modelo anunciado pelo Governador do Banco Nacional de Angola (BNA).

O s estatutos deste fundo, que visa garantir os depósitos dos clientes, foram aprovados em reunião da Comissão Económica do Conselho de Ministros, tendo o governador do BNA explicado que será participado por “todos os bancos comerciais”.

De acordo com José de Lima Massano, essa contribuição será de 0,03% da carteira de depósitos de cada banco.

Tendo em conta a mais recente análise da consultora Deloitte, cerca de 20 bancos angolanos apresentavam no final de 2013 uma carteira de depósitos de 4,6 biliões de kwanzas (36,8 mil milhões de euros).

Com base na contribuição de 0,03% sobre esta carteira, e desconhecendo-se a evolução actual dos depósitos (em 2013 aumentaram 17%, segundo a mesma consultora), este fundo deverá ser dotado com mais de 10 milhões de euros.

Com a instituição deste fundo, explicou por seu turno José de Lima Massano, serão assegurados depósitos de até três milhões de kwanzas (cerca de 23 mil euros), criando-se condições, afirmou, para “proteger cerca de 90% dos depositantes” do sistema bancário angolano.

“Temos como proteger os depositantes, não estando em causa por isso os seus depósitos, as suas poupanças”, disse o governador do banco central angolano.

Partilhe este Artigo